- Divulgação

Divulgação

A festa da fraldinha

Patrimônio gastronômico, o corte imortalizado pelo mestre Marcos Bassi ganha festival

Da redação - Publicado em 03/01/2017, às 18h39

Há 50 anos, a lenda Marcos Bassi, a grande referência em churrasco no Brasil (e reverenciado mundo afora) iniciava a difusão do corte da fraldinha no Brasil. Isso depois que uma senhora francesa entrou na sua antiga casa de carnes e pediu uma bavette – corte idêntico usado na França desde sempre. Como não conhecia, pediu para a digníssima ir com ele à câmara refrigerada e lá, ela apontou no boi inteiro de que carne estava falando. Então passou a colocar a peça, antes desperdiçada com apara de outros cortes, na churrasqueira. Ela foi para em sanduíches e depois na mesa de comensais famosos, entre eles o global José Bonifácio de Oliveira, o Boni, que deu nome a peça e divulgou para o Brasil inteiro.

Deu no que deu. Hoje, a fraldinha é o segundo corte de churrasco mais vendido do Brasil, ficando apenas atrás da picanha. E para comer a, digamos, versão original, o Templo da Carne, em São Paulo, faz durante o mês de janeiro um festival imperdível no qual a fraldinha é servida, para até quatro pessoas, num espeto exclusivo para cada mesa, acompanhada de farofa especial e uma capirinha de cachaça Santo Grau para cada comensal. Preço: R$ 290. Ou seja, cerca de R$ 73 por pessoa, preço ótimo considerando a qualidade irrefutável do conteúdo. Vale lembrar que o Templo da Carne tem uma boa adega, com vinhos vendidos a preços bastante justos.

 

Templo da Carne de Marcos Bassi – Rua Treze de Maio, 668, Bela Vista, São Paulo – SP.
Tel.: (11) 3288-7045