- Divulgação

Divulgação

Carla Pernambuco: 'Sabores da minha infância'

A chef conta sua relação com Punta del Leste e dá dicas preciosas para comer e beber bem na capital uruguaia

Da redação - Publicado em 04/12/2017, às 15h00

EMBORA PUNTA DEL LESTE TENHA SE tornado um destino muito turístico em torno dos famosos cassinos, sou do time que acha que a cidade tem seus segredos e encantos. Há quem seja louco por jogo, mas eu gosto mesmo é de cair na estrada e descobrir lugares e tesouros gastronômicos. Todo verão tem sempre novidades para conhecer!

Passei minha infância e adolescência em Punta porque minha avó paterna é uruguaia. Ingredientes de primeira qualidade, difíceis de ter acesso em Porto Alegre, eram comuns na cidade, como o leite, a manteiga, o queijo. E tesouros como o doce de leite de lá. Hoje, tudo isso é fácil de achar, mas naquela época esses produtos surpreendiam muito. Era a tão falada cozinha de ingrediente, que atualmente tem tanta força. O fogo também tem sua importância ali, junto com a parilla, também tão presentes no Rio Grande de Sul. Aquela Punta gastronômica e cosmopolita me fez enxergar um novo mundo da cozinha desde muito cedo.

Gostava de ir aos bares nos paradores da praia, onde se comia sanduíches como o civito, mexilhões à provençal e se bebia clericot. Lembro-me muito bem de ir com meus pais comprar mariscos frescos no porto ou nas peixarias para preparar arroz de mexilhões e pescados na brasa. Crescemos comendo tudo isso! Também adorava ir na sorveteria pedir todos aqueles helados de frutas ou o meu preferido: dulce de leche granizado de chocolate, ultra cremoso, incrível. Não me esqueço ainda de uma pizzaria que servia umas pizzas deliciosas feitas no forno de pedra, cortadas em retângulos, que vinham meio queimadinhas.

Foi lá que aprendi a dirigir carro e mobilete, esta perfeita para passear e desbravar a cidade! E quando virei adolescente, vieram ainda as baladas. Você saía da praia, jantava, dormia e ia dançar nas boates. Era bem divertido. Punta tem fortes influências das culinárias espanhola, italiana, francesa e inglesa. E a cidade tem uma sofisticação. Eles têm o hábito, por exemplo, de tomar chá da tarde até hoje. É o balneário elegante da América Latina. Mas com muito bom gosto para a culinária, design, moda e decoração. Tem todo um lifestyle. Casas com cara de conto de fadas convivem com outras mais cinematográficas e os edifícios modernos da orla. Aliás, todas as casas têm nomes, e não números - uma graça! A escola uruguaia de arquitetura, inclusive, é super imporante.

O bacana de Punta é o seu jeito rústico e chique de ser. A cidade cresceu, se sofisticou, mas não perdeu a essência. Continua com o charme, suas surpresas, o respeito ao que chega de novo, mas mantendo a tradição.


As dicas da Carla
Onde ficar, onde comer e até onde comprar “para viagem”

Ficar


L’auberge – É o primeiro lugar que me vem à cabeça. Para mim, um dos hotéis mais românticos de Punta. Tem uma excelente localização, além de um chá da tarde com waffles únicos! Vale guardar uma tarde para prová-los. 


La Posta Del Cangrejo – Se penso em praia, penso neste que fica na Barra de Maldonado. É um hotel com ar praiano, quase à beira mar com mil e uma lojinhas e restaurantes para visitar no entorno. 


Conrad – É um clássico. Dá para curtir um ar do filme Cassino com a Sharon Stone! Ele é confortável e bem localizado, com bons preços! Mas, para mim, falta algum charme. 

Comer


Cuatro Mares – O primeiro é comandado pelo chef uruguaio Gaston, que tem uma cozinha rústica, viajada e com técnica apurada. Ele fica entre a Playa Mansa e a Playa Brava, numa casa bem instalada onde Gaston recebe pessoalmente a todos com muito bom humor. Ah, ele é um apaixonado pelo Brasil e já trabalhou em São Paulo, com a Paola Carosella.


Cantina del Vigia
– É do chef uruguaio Fed Marismo, que apostou num point inusitado em uma praça em pleno Maldonado. O nome vem da posição da casa, em frente ao farol. Na chegada, um pátio todo iluminado com luzinhas coloridas e um bar externo para atender os mais animados. Dentro do restaurante, ao fundo, dois imensos fornos a lenha com banquetas para que quiser assistir à ação do fogo, além de algumas mesas na parte interna. Para começar: os pimentões vermelhos assados, servidos com queijo de cabra, a ótima berinjela ao forno com tomates ou ainda os camarões ao alho. Depois, vá de lasanha de legumes ou ojo de bife com papa rösti ou com a deliciosa pizza marguerita da casa, que vem para mesa temperada com um saboroso pesto.

Casa

 
La boutique – A rotisserie do La Bourgogne, do chef francês Jean Paul Bondoux, é perfeita para quem quer receber em casa com um toque mais sofisticado. Para pedir sem pestanejar: as quiches, amo a de cebola e queijo de cabra, os patês, o clássico imbatível de campanha, todos os assados, as tortas de frutas frescas (a de morangos é a minha favorita!). 


La 2
– É perfeita para tomar café da manhã. Padaria tradicional de Punta, com excelente custo benefício. Também dá para encomendar medias lunas e espetaculares tramezzines para levar para casa. Tel: +598 4248-0032.


Gelateria Arlecchino
– Não tenho palavras para descrever os helados daqui. As imensas filas podem dizer por si só aos que vieram, excelente produto com ótimos preços. Meus favoritos: de dulce de leche granizado, o de frutas vermelhas e o de banana caramelizada. Tel.: +598 4244-1987.

 

 * Esta reportagem foi publicada originalmente na edição #2 da Revista Sabor.club. Para comprá-la, visite http://loja.sabor.club/revista-sabor-club-edicao-2-p109/. Para assinar, acesse http://sabor.club/assine/