-

Dicas para o fim de semana em São Paulo, 09/09

A nova comida dos mestres Salvatore Loi e Paulo Barros, menu degustação a preço acessível, suculento asado espanhol e carnes curadas de primeira

Da redação - Publicado em 06/09/2017, às 17h25

O fim de semana em São Paulo está repleto de atrações para comer, beber e passear. Selecionamos algumas dessas opções, baseados nas nossas andanças, pesquisas e apurações, muitas delas com mais informações na revista  Sabor.club #8, já nas bancas.

Para assinar e ficar ainda muito mais antenado, acesse http://sabor.club/assine/


PARA COMER:

 

 

Aranda Asados e Tapas  – Aqui o bom mesmo são as tapas e o que sai da grelha rústica desenvolvida pelo chef Antonio Mendes. O que brilha dentro dela é o chuleton, corte argentino é o contra-filé da costela. Macio e muito saboroso. Alto e mal-passado.

R. Amauri, 328, Itaim. Tel.: (11) 3079-4816.

 

Mocotó – Sob o comando do chef Rodrigo Mocotó, criador dos famosos dadinhos de tapioca, o restaurante é um marco na gastronomia paulistana. Não deixem de ir. Mas vão preparados, o sucesso reflete nas costumeiras filas para entrar no salão.

Av. Nossa Senhora do Loreto, 1100, Vila Medeiros. Tel.: (11) 2951-3056 (o Esquina Mocotó fica ao lado)

 

Evvai – O jovem chef Luiz Filipe Souza faz em seu novo restaurante, alta cozinha de forma mais acessível. Na visita, não deixem de provar a ciambella que lembra uma rosquinha e é divinamente recheada com pato assado, servida com purê de cenoura e laranja. Uma delícia.

R. Joaquim Antunes, 108, Pinheiros. Tel.: (11) 3062-1160

 

 

Modern Mamma Osteria – O Moma (não é difícil sentir-se íntimo) é a menina dos olhos dos famosos chefs Salvatore Loi e Paulo Barros que deixaram casas italianas de grife para se encontrar, numa osteria. Aqui a comida é de cantina com técnica. Bon apetit.

R. Joaquim Antunes, 108, Pinheiros. Tel.: (11) 3062-1160

 

PARA COMER E BEBER:

 

 

> Ambar – Cervejaria só com chope artesanal feito no Brasil tem um ambiente que nos leva ao interior da América – parece um celeiro, com paredes de tijolos e pôsteres sobre elas. No bar estão 15 torneiras de cerveja fresca, escolhidas com uma senhora curadoria. Para comer, destaque para os hambúrgueres e hot dogs.  

R. Cunha Gago, 129, Pinheiros. Tel.: (11) 3031-1274.

 

 

Seen –  Um privilegiado skyline, um belíssimo bar com balcão 360º no centro de um salão todo aberto em estilo art déco. Tudo isso cercado por um sofá em veludo enorme. Não bastasse o ambiente impactante, a comida criativa do chef William Ribeiro é um caso a parte. É fresca, bem pensada e com toques instigantes, como o jerez no carpaccio de polvo. Os drinques não ficam atrás nem tão pouco a ótima carta de saquês. Em Sabor.Club  #7 o talentoso chef dá dicas, orientações e receitas para o uso correto do fascinante tempero em forma de utensílio, a tábua de sal  é um charme para preparar, finalizar ou servir pratos.

Para garantir a sua: http://loja.sabor.club/

Tivoli Monfarrej, Alameda Santos, 1437, 23° andar, Jardins. Tel.: (11) 3146-5923

 

 

 > Bar Jiló do Periquito – Toda gente que abre um bar e diz que montou a casa que gostaria de frequentar. Edu Passarelli e André Clemente não são diferentes, porém, seu Jiló do Periquito não só substitui o Aconchego Carioca, como deixa claro esse anseio. No menu, coxinhas bem feitas e a porção que leva o nome da casa, com jiló frito com mel, pimenta dedo de moça e gorgonzola. Há ainda pratos generosos e de ares caseiros, com destaque para a TV de cachorro, com frangos assados, nos fins de seamana. A carta de cervejas é notável.

Alameda Jaú, 1372, Jardins. Tel.: (11) 3062-8262

  

PARA BEBER:

 

O Apotecário – Foi em 2005, durante um mestrado em Londres, que Neli Pereira descobriu o universo das infusões. De lá para cá, faz criações exclusivas com botânicos para provocar efeitos no corpo e na mente.

R. Major Diogo, 237, Bexiga.  Tel.: (11) 3105-5171

 

Guarita – Do mixologista Jean Ponce e do chef Greg Caisley. Serve alguns dos melhores drinques da cidade, pizzas fininhas e inesquecíveis e petiscos premiados como o célebre bolovo.

Rua Simão Álvares, 952, Pinheiros. Tel.: (11) 3360-3651

 

PARA COMER EM CASA:

 

Da Mooca Pizza Shop – Não, não é delivery. Nova loja propõe que você faça as redondas na sua cozinha. Aqui são vendidos ingredientes e acessórios para a fabricação de pizzas caseiras, como pás italianas, farinhas de diversos tipos, molho da casa (só com tomate, orégano e azeite de alho), queijos (do cacio cavalo, do Roni, a um gorgonzola Saint Agur, passando por provolone italiano), embutidos especiais (linguicinhas diavoletti, mortadela com pistache italiana e presunto cru português são bons exemplos), massas batidas (clássica e integral) e pré-prontas, fermento e legumes orgânicos. Se der fome, há pedaços de pizza alla romana, em formato retangular e massa que lembra uma focaccia, porém mais crocante.

Rua Girassol, 273, Vila Madalena.

 

Dëlika – No passado, curar carnes era uma questão de sobrevivência. Hoje é questão de (bom) gosto. A questão é onde encontrar produtos realmente de qualidade.  É o caso do chef Bruno Alves, da Dëlika, em São Paulo. Ele remodelou um empório para se dedicar a fazer os embutidos, depois de viajar para a Itália, onde estudou charcutaria e afinou as suas técnicas para o preparo de preciosidades, como a sua linha de seis tipos de salames – com destaque para o nduja (pronuncia-se induia).

R. Pedro Cristi, 89, Pinheiros. Tel.: (11) 3032-3536

 

PARA COMER COM OS OLHOS: 

 

> ​ Capitu vem para o jantar – Denise Godinho Verus/Record R$ 69,90

A autora lia Dom Casmurro, quando se deparou com um citação de cocada, num dos belos momentos da obra. E pensou: por que cocada? Será que Machado de Assis gostava do doce? A pergunta deu origem a várias outras sobre outros autores e outras citações, virou pesquisa e ela se transformou no livro aqui sugerido com as receitas e as histórias por trás do cookies de O Diário de Anne Frank ou a cerveja amanteigada de Harry Potter. Divertido de ler. 

 

 

Carême – Cozinheiro dos Reis – Ian Kelly, R$ 49

Mais do que a biografia de Antonin Carême, um dos maiores cozinheiros de todos os tempos, a obra faz um passeio pela Europa da sua época, o início do século 19, desde a Revolução Francesa, o surto de cólera e, claro, os banquetes promovidos pela realeza. Todas as transformações que marcaram a culinária com hábitos e técnicas usadas até hoje também estão aqui. Leitura indispensável para qualquer pessoa que se diz amante da boa mesa. Não dá para não ler. 

 

PARA BEBER EM CASA:

 

Vinhos

 

 

> ​AURORA VARIETAL CHARDONNAY 2015 – 89 pts

Cooperativa Vinícola Aurora, Serra Gaúcha, Brasil

Sem passagem por madeira, cheio de frescor e gostoso de beber. Mostra abacaxi fresco em abundância, bem como notas florais, minerais e de ervas frescas, tanto no nariz quanto na boca. Vai bem com pratos leves em geral.

R$ 26 | Álcool 12%

 

> NORTON LADY CHARDONNAY 2016 – 90 pts

Norton, Mendoza, Argentina

Notas cítricas de abacaxi fresco e leve foral dominam os aromas desse surpreendente (pela excelente relação Q/P) branco mendocino. Aqui, o pequeno uso da madeira não escondeu a fruta e foi apenas suficiente para dar maciez ao conjunto, sem comprometer a ótima acidez, que garante frescor e vivacidade em boca. Muito gastronômico. R$ 70 | Álcool 13% | Winebrands

 

Cervejas

 

 

POMERODE – Schornstein Witbier – Schornstein

A cerveja leve e refrescante, feita com cascas de laranja, tangerina e sementes de coentro é um dos destaques da cervejaria de Pomerode.

 

 

> FLORIANÓPOLIS– Dum Petróleum, DUM Cervejaria

Uma Russian Imperial Stout criada quando ainda não existia Imperial Stout fabricada no Brasil. Escura como petróleo, leva adição de cacau e aveia na receita. No copo, o resultado são notas aromáticas de café e chocolate meio amargo. www.dumcervejaria.com.br